sábado, 27 de agosto de 2011

Salários nas alturas!

     Os servidores do Senado conseguiram restabelecer o recebimento dos supersalários, mas seus colegas da Câmara dos Deputados não tiveram a mesma sorte. O Tribunal Regional Federal da 1ª Região manteve a liminar concedida pela 1ª instância que limita os valores pagos ao pessoal da Câmara ao teto constitucional do funcionalismo, que é o vencimento do ministro do Supremo Tribunal Federal, hoje em R$ 26.713. É exatamente o contrário do que decidiu o presidente do TRF1, que liberou os altos salários para os funcionários do Senado. Ambas as decisões são temporárias até o julgamento do mérito dos recursos por um grupo de desembargadores.


5 comentários:

  1. Fatores que sempre me incomodaram: primeiro, membros do executivo aumentam os próprios salários e não precisam da luta dos demais trabalhadores; segundo, esse teto máximo é fictício, pois esconde todos os demais benefícios, só tendo utilidade real para limitar salários de outros trabalhadores.

    Bjs.

    (sumi não, meu amigo, nem sempre consigo visitar todos e ando com pouco tempo (rss))

    ResponderExcluir
  2. Adriano, como podemos ver as brechas das leis no Brasil, a meu ver são exageradas. Mas, quem fazem as mesmas são os polícos né! Então, não devemos esperar muito deles; quem manda não escolhermos direito!!

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Não é fácil encarar a realidade do mundo, não é só o Brasil, e sim a situação atual que está em todo lugar.O senso de moral e caridade é um elemento em extinção.Um abraço

    ResponderExcluir
  4. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Alma de poesia. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir